sábado, 21 de outubro de 2017

TARCÍSIO DESTACA POTENCIAL DE AZEVEDO, APONTA INVIABILIDADE DE UMA CANDIDATURA REGIONAL PARA ALPB E CRITICA GOVERNO TOM: "VIRTUAL E APÁTICO"
João Paulo Fernandes21 outubro 0 comentários


Entrevista especial com o ex-prefeito de Água Branca-PB, Tarcísio Firmino (PSB)


Política 24h: “Tarcísio Firmino, antes de tudo, agradeço a gentileza de conceder entrevista ao Política 24h e vamos tratar inicialmente da política no âmbito estadual – onde as correntes políticas da Paraíba já se organizam, preparando-se para 2018. A oposição tem dito que há nomes de sobra, que tem nomes à disposição para concorrer ao Governo do Estado – inclusive, chegam a desdenhar do nome até agora posto pelo governador Ricardo Coutinho (Secretário João Azevedo) para concorrer às eleições, em 2018. Qual o diferencial, qual contraponto a esses discursos, a sua opinião sobre o nome apresentado pelo governador Ricardo?  

Tarcísio Firmino: “Primeiro agradecer a oportunidade de estar falando com vocês, pra mim é uma satisfação muito grande poder estar junto com a população, pode externar as nossas opiniões... Essa pergunta é muito interessante porque essa eleição que se avizinha, essa eleição 2018 vai ser totalmente diferente, porque a gente vai realmente escolher àqueles candidatos que possam realmente mudar a cara da política, mudar a cara do Brasil e o secretário João Azevedo com certeza é um diferencial, por quê? Além de ser altamente competente é um técnico que tem uma grande experiência, conhece a Paraíba toda, íntegro, honesto e a gente está precisando disso, então, esse vai ser o embate que a gente vai travar: mostrar pessoas competentes, com capacidade de administrar o Estado e, diante do trabalho que ele vem fazendo, acredito perfeitamente que nós temos um candidato competitivo que vai realmente fazer o grande diferencial no Estado da Paraíba, dando prosseguimento ao projeto do PSB, implantado pelo governador Ricardo Coutinho. Ricardo mudou a história da Paraíba e vai continuar mudando, se Deus quiser! Esse é o nosso pensamento e esse é o grande diferencial que vai acontecer no Estado da Paraíba”. 

Política 24h: “Há alguns meses atrás, o senhor lançou uma pré-candidatura ao legislativo estadual, mas, de uns dias pra cá, é perceptível um certo ‘stand-by’, uma certa pausa nesse projeto. O que houve? O senhor chegou a desistir de concorrer a Assembleia Legislativa? O que aconteceu com o projeto 2018?
Tarcísio Firmino: “Esse é um sonho que a gente tem, é um projeto de ter os candidatos da própria região, que conheçam a região... isso aí a gente defende há muito tempo e não é a candidatura de Tarcísio, eu sempre disse isso, eu defendo a candidatura da região, que tenham potencial de se eleger; não adianta ter um candidato que a gente já sabe que não vai se eleger, então, esse é o pensamento, claro que ficou mais distante porque o que a gente defende, o voto distrital, só que fizeram um arremedo (Leia-se Câmara Federal), não fizeram uma mudança na política, na forma de eleger os nossos representantes, não houve uma reforma política, uma reforma eleitoral, fizeram uma reforma para beneficiar justamente àqueles que já estão aí, então à gente não concorda com isso, a gente não vê perspectiva de uma candidatura dentro da própria região com esse modelo que continua implantado, então fica difícil, até porque as grandes lideranças, os prefeitos já têm compromissos, não tem compromisso com a região, têm compromisso com candidaturas e isso é muito ruim para a região, a gente fica muito triste e infelizmente fazer o que se querem assim? Eu queria muito mudar essa realidade, eu queria que a gente tivesse candidatos da própria região, claro, com potencial de se eleger...não adianta ser candidato por ser candidato! Tem que ter potencial para se eleger...por isso que a gente está um pouco como você falou: em ‘stand-by’. Não adianta eu, Tarcísio, lançar uma candidatura quando vejo que não tenho potencial para se eleger, porque aqui dentro da região a gente teria condições, não só eu, como outras pessoas, outros candidatos, contanto, se as lideranças, os prefeitos da região apoiassem, mas, da forma que está fica difícil, então a gente não vai submeter candidatura se a gente vê que não há potencial para se eleger, então, o nosso pensamento sempre foi esse e sempre vai ser: que a região possa ter os seus verdadeiros representantes para representar a nossa região. É preciso mudar a mentalidade das nossas lideranças, dos vereadores, dos prefeitos para que a gente possa conseguir isso aí, enquanto isso não acontecer fica muito difícil.”. 

Política 24h: “A sua gestão foi uma das mais bem avaliadas do país e o senhor foi premiado como um dos trinta melhores prefeitos do Brasil. Como o senhor vê, neste momento, a atual gestão de Água Branca?

Tarcísio Firmino: “Olha, eu sou suspeito para falar... Tenho procurado ficar longe dessa comparação, mas, diante do que está acontecendo em Água Branca fica difícil até da gente se calar. Estou esperando mais tempo para que justamente a gente possa fazer uma comparação. O que foi pregado na campanha, durante todo período eleitoral era que Água Branca iria ter uma grande mudança e realmente teve essa mudança – só que muito pra pior, a gente já sente hoje a reclamação da população, vê que realmente toda a população, toda comunidade de Água Branca foi totalmente enganada, hoje a gente vê um governo virtual onde não tem nada pra se destacar, estamos aí a quase dez meses de governo e a não tem nada que se possa destacar na administração – apenas é um governo virtual, de enganação, de tapeação e está aí sem apresentar nada de novo a população, Fico triste! Não queria que isso tivesse acontecendo em Água Branca; queria que cidade estivesse avançando igual nos quatro anos da nossa gestão que avançou muito, isso é notório, não é necessário que eu fale, todos sabem disso e, infelizmente, temos visto tudo que nós deixamos ser desconstituído, Água Branca está realmente apática, sem avanço nenhum, nada que possa se destacar na nova administração; fico triste, preocupado, em dez meses vê se acabar tudo que a gente deixou e, pra você ter uma ideia, as máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento que a gente deixou, trabalhavam incansavelmente, era difícil até atender as pessoas; essas máquinas estão paradas, o trator não fez um barreiro de açude durante dez meses. Está tudo parado desde que entregamos. Nós também entregamos dez carros 0 km em dezembro de 2016 e esses carros estão todos sucateados. Foram quatro Vans para o transporte escolar, duas ambulâncias 0 km, entregamos mais quatro veículos as UBS’s e, infelizmente, esses carros estão sendo sucateados. Podem até acabar com os carros, mas, não acabarão com a memória do povo”. 

Política 24h

Sobre o Autor "Apenas um rapaz, latino-americano, sem dinheiro no banco sem parentes importantes, vindo do interior..." João Paulo Fernandes Facebook

0 comentários

Postar um comentário