sábado, 12 de novembro de 2016

CIDADES DO ALTO SERTÃO DA PB TAMBÉM ADERIRAM AO PROTESTO CONTRA A PEC 55
João Paulo Fernandes12 novembro 0 comentários


Várias cidades do Alto Sertão paraibano aderiram à paralisação nacional desta sexta-feira (11) e as suas populações realizaram manifestações nas ruas contra a PEC 55 que propõe congelar os investimentos públicos do Governo Federal por 20 anos. Bonito de Santa foi uma delas.
Apoiados pela prefeita Alderi Caju (PMDB) e pelo prefeito eleito Chico Pereira (PSB), centenas de manifestantes tomaram as ruas de Bonito com cartazes e palavras de ordem contra a emenda chamada por muitos de ‘PEC da maldade’ e ‘PEC do fim do mundo’.
Vestidos de preto, eles saíram em passeata até um palco armado no Centro, onde políticos, gestores e sindicalistas fizeram seus discursos. A prefeita Alderi Caju destacou o apoio da administração municipal às manifestações e disse que as consequências da PEC atingem também os prefeitos.
“A gente está vendo que o povo está preocupado, se mobilizou, foi à rua, e a Prefeitura Municipal de Bonito de Santa Fé dá todo apoio a esse movimento porque quem sente, quem recebe as cobranças é o prefeito. O povo não vai procurar o presidente da República, vai procurar o prefeito”, declarou.
Já o prefeito eleito Chico Pereira se surpreendeu com o grande número de pessoas na manifestação e, apesar de demonstrar pessimismo quanto a não aprovação da PEC, garante que o povo vai resistir e lutar.
“Nós esperávamos que tivesse uma boa participação, mas não tanto quanto. Foi uma manifestação positiva e contribuiu para o movimento nacional. A tendência é que essa PEC  seja aprovada. Mas isso não significa dizer que ela vai cair na prática sem a resistência do povo. Eu acredito que o povo não vai tolerar tamanho absurdo do Governo Federal.”
Em Cajazeiras também houve manifestação contra a PEC 55 na manhã desta sexta. Estudantes, professores, membros de grupos sociais e sindicalistas caminharam pelas ruas do Centro mostrando cartazes, cantando e entoando palavras de protesto e resistência. O ato parou na Avenida Coronel Juvêncio Carneiro, uma das principais do Centro da cidade.
Créditos: Diário do Sertão
Sobre o Autor "Apenas um rapaz, latino-americano, sem dinheiro no banco sem parentes importantes, vindo do interior..." João Paulo Fernandes Facebook

0 comentários

Postar um comentário